sábado, março 09, 2013

Estante lida (novembro-dezembro)


“Reading isn't the opposite of doing, it's the opposite of dying.” 

 Will SchwalbeThe End of Your Life Book Club

Coloquei algumas metas para 2013, como sempre a primeira das metas é ler e ler bem mais do que o ano passado. Por falar nele, eu tinha me proposto a compartilhar a experiência da leitura, colocando todo mês, os livros que li e comprei e alguma coisa sobre eles.

Então, antes de cumprir uma nova promessa, vou retomar uma antiga, passar a limpo os meses de outubro até o fim de 2012. Num próximo post, até hoje.

Livros comprados:

Every Good Endeavour de Timothy J. Keller
Center Church de Timothy J. Keller
Gospel in Life de Timothy J. Keller
Creature of The Word de Matt Chandler, Eric Geiger e Josh Patterson
O Poder dos Hábitos de Charles Duhigg
A Noite da Arma de David Carr
Cristo e Cultura: uma releitura de D.A. Carso
Gospel: Recovering the Power that made Christianity Revolutionary de J.D. Greear
The Circle Marker de Mark Batterson
Red Letter Revolution de Shane Clairborne e Tony Campolo
O Supremo Propósito de Deus de D.Martyn Lloyd-Jones
Sermões Evangelísticos de D. Martyn Lloyd-Jones
Bonhoeffer, o mártir de Craig Shane
Nem Monge, nem executivo de Paul Freston
Deus joga dados?  de John Houghton


Livros Lidos :
Entre novembro e dezembro
  • Cristologia: como falar sobre Jesus hoje de Ralf K. Wüstenberg
  • Os Desafios de Jesus de N.T. Wright
  • Gone Girl de Gillian Flynch
  • Seguindo Jesus de N.T. Wright
  • Por que a ciência não consegue enterrar Deus de John Lennox
  • A Vida que Satisfaz de Carlos McCord




1. Os Desafios de Jesus e Seguindo Jesus de N.T. Wright. (Editora Palavra)

O primeiro é um livro de apologética e o segundo é um livro devocional. Quem leu N.T.Wright, se depara com um escritor cristão que não tem nada a ver com qualquer outro. Seu pensamento é único. 

Em OS DESAFIOS DE JESUS, Tom Wright busca responder alguns desafios:

1. Como a que lugar pertencer Jesus no mundo judaico de seus dias?
2. Qual era o seu propósito com a pregação do Reino?
3. Qual era o propósito da morte de Jesus?
4. O que aconteceu na páscoa?
5. Como tudo isto se relaciona com os dias atuais?

Sobre o reino, tudo que fazemos como cristãos está baseado na conquista de Jesus, na sua inauguração do reino de Deus, e esta fundação serve como modelo para nós, como Jesus foi para Israel, assim a igreja deve ser para o mundo.

Sobre a cruz, "Ele cria que ele mesmo era aquele que sofreria o destino de Israel. Ele era o Messias, que tomaria para si o destino da nação. Ele havia anunciado o julgamento de YHWH sobre uma nação recalcitrante; agora, como com os profetas dos dias passados, eles planejavam matá-lo. Jesus havia declarado que o caminho do Reino era um caminho de paz, de amor e de cruz. Lutar a guerra com as armas do inimigo significava perder já nos princípios e na prática. Jesus determinou o que seria a sua missão, como vocacionado para representar Israel, perder a batalha no lugar da nação. Isso significava Israel se tornando luz  não apenas para si mesma- os mártires macabeus pensavam apenas em termos da libertação de Israel- mas para todo o mundo" (p.103)

Sobre a deidade de Jesus, "o ministério de Jesus era entendido como uma manifestação da Palavra de Deus, criadora, restauradora, com poder de cura, evidente na criação e prometida pelos profetas como meio através do qual a restauração viria sobre a terra" (p.129).

Sobre a páscoa, Wright começa dizendo que ressurreição está na base para o batismo, a justificação, ética, esperança futura tanto para o homem como para o mundo.

"Na cruz e na ressurreição de Jesus nós encontramos a resposta: o Deus que fez o mundo é revelado em termos de um amor que se doa, um amor que não pode ser colocado em questão por nenhuma hermenêutica pós-moderna; é revelado em um "eu" que se encontra quando se entrega; em uma história que nunca foi manipulativa, mas sempre existiu para curar e restaurar; em uma realidade que pode ser verdadeiramente conhecida, e quando conhecida, revela uma nova dimensão de amor e possibilidade de ser amado" (p.193)

Em SEGUINDO JESUS, Wright compôs o livro em duas partes, a primeira Olhando para Jesus, ele comenta a presença de Jesus em alguns livros da bíblia. Na segunda parte Sacrifício Vivo, fala sobre alguns aspectos da vida e obra de Jesus.

"Se Jesus estivesse esperando que jamais nos envolvêssemos em algo errado, ele não colocaria aquela cláusula na oração do Pai Nosso" p.97

2. Cristologia: Como falar hoje de Jesus  de Ralf K.  Wustenberg (Editora Sinodal)

O livro quer responder perguntas inquietantes, porque crer em Cristo não nos faz intolerante? por que não é pura fantasia? como Deus amoroso se concilia com a morte de seu filho? como Jesus pode redimir todas as pessoas? As respostas que ele propõe   são bem diversificadas, é um livro interessante para conhecermos diversas respostas para tais perguntas, mas é difícil de ler e, assim, a resposta, às vezes, fica mais complicada que a pergunta.


3. GONE GIRL  de Gillian Flynch

“It’s a very difficult era in which to be a person, just a real, actual person, instead of a collection of personality traits selected from an endless Automat of characters.” 

Gone Girl é um romance policial escrito por duas vítimas e autores, é um excelente livro escrito por Gillian Flynch, você tem que ir até o fim mesmo para saber no que vai dar.


O livro é narrado pelos dois personagens principais do livro, Nick e Anne Dunne, um casal que ao completar 5 anos de casamento, a esposa simplesmente desaparece, deixando vestígios que teria sido morta. Ao longo do livro, as mentiras de Nick vão o complicando e um provável diário de Anne também vai narrando o outro lado da história.

É um bom suspense, porque além de uma bela trama, morreu ou não morreu, matou ou não? A gente nunca pode confiar em nenhum dos dois narradores.


Vale a pena ler a resenha do NYT sobre o livro:
http://www.nytimes.com/2012/05/30/books/gone-girl-by-gillian-flynn.html?_r=0

Sem dúvida, é a MELHOR FICÇÃO QUE LI ANO PASSADO.

4. A vida que satisfaz de Carlos McCord (Editora Inspire)

É um dos melhores livros que li na vida, já o li tantas vezes, escrito pelo meu irmão, amigo, mestre e mentor Carlos McCord, andei postando capítulo por capítulo, clique aqui


"Todo dia preciso me reconhecer como morto pra essas coisas e vivo para Deus. Minha satisfação agora está nele somente, não importa quem me procure para fazer uma oferta. Acredito que é por causa do amor e da sua misericórdia que Deus permite esse teste contínuo no nosso viver. O desejo dele é que a certeza de nossa incapacidade de viver longe do Senhor se transforme em uma convicção muito profunda. Também deseja que refutemos a doutrina satanica que diz: Deus não é suficiente" p. 155



Um comentário:

Peu Rocha disse...

gostei d+ do seu blog, visitei e agora to seguindo :)

espero vc andando na minha casinha tambem, e gostando, espero q fique

otimo texto

:)