quinta-feira, julho 12, 2018


CRISTO DO MONTE: uma filosofia de vida que funciona

E. STANLEY JONES





Os homens não precisam de nada nestes dias modernos a não ser que sua necessidade de um filosofia de vida que funciona que seja um modo adequado de vida. “A verdadeira preocupação e confusão desta época” como Lorde Haldane disse, “é nem tanto religioso, ou mesmo intelectual, como moral”. Solto das amarras que seguram a vida, muitos estão à deriva. Eles clamam para serem livres. Eles jogaram no mar o mapa, a bússola, o volante e a consciência de um destino. Eles estão livres de tudo- tudo exceto as pedras, as tempestades, e a insuportável inanidade de ser lançado da onda do mero significado, com menos emoção.



O homem moderno é “deixado pela ciência sem um objetivo, é explorado pelo humanitarismo sem um herói, pela com um impasse” – ele precisa de uma saída. Pode a religião prover isto? Certamente, a irreligião não parece ter achado um caminho para viver. Tome Nietzsche, ele bradou contra o caminho de Jesus chamado-o de “moralidade escrava”. Ele gostaria de ser livre. Mas ele foi? Ele gritou “Onde é meu lar? Por isto eu peço e tenho procurado, mas não encontrei ainda. Oh! Eternidade em todos lugares, Oh! Eternidade em nenhum lugar, Oh! Eternidade em vão”. O ferrão está nas duas últimas palavras, “em vão”. O senso de futilidade, de falta de sentido perdurando-se, tem se estabelecido sobre muitos. É assim no Oeste, é assim no Leste.



“Eu não tenho solução para o problema da vida e do sofrimento e pareço estar predestinado a não ter solução”, diz um honesto hindu numa de nossas conferências de Mesa Redonda. Outro diz, um professor hindu: “eu comecei a desistir de uma coisa depois da outra e, então, achei que tudo havia ido embora, mesmo meu universo. Eu também estava pronto a desistir de mim mesmo e cometer suicídio. Minha está ficando cada vez mais e mais maçante a cada dia. Ela não tem significado. Mas, talvez, deve existir alguma obra fora disto. Ate agora, isto não me trouxe nada”. Um presidente de uma reunião em que falei sobre uma filosofia de de vida que funciona disse:” eu tenho vivido por um longo tempo, mas ainda não tenho uma filosofia de vida, menos ainda uma filosofia de vida que funcione, eu estou internamente num caos, cheio de choque e confusão, e eu ouso dizer que muitos de vocês são como eu”. Há muitos que são como ele- e estão aumentando. Nem todos estão gora da igreja cristã. O cristão está perguntando com crescente ansiedade, e acreditando com crescente sinceridade: “Qual o modo cristão que funciona para viver”?



Uma senhora brilhante da alta sociedade no Oeste, que tropeçou no tesouro escondido no campo da vida humana, e foi embora e com alegria, então, vendeu tudo que tinha para comprar este campo, disse para o escritor: “Agora que eu sou cristão o que você vai fazer comigo? Como deve agir um cristão? Qual é a técnica para ser um cristão?”



Eu não respondi esta penetrante questão de uma vez, porque – bem, eu não estava certo, e a sinceridade da pergunta demandava que estivesse certo. Agora, após meses e anos pensando em meio tempestades e choques de coisas, eu cheguei a conclusão que devemos chamar o Sermão do Monte deste caminho pelo qual o cristão deve agir, que constitui a técnica de ser um cristão- e sua filosofia de vida que funciona.



Entre muitas coisas que a India tem me ensinado, duas são proeminentes: primeiro, ela me compeliu a desvencilhar Cristo das crenças que por séculos foram reunidas em torno dEle. Isto foi uma experiencia libertadora ao encontrar uma fé se tornou simplificada e centrada na pessoa. Por anos, tenho andado nesta liberdade; mas, por muitos anos estive me questionando e perturbando. A questão era esta: Sim, Cristo é o centro, e ser um cristão é tomar sua sua mente e seu esppirito, mas o que é principal conteúdo que devo ter nestas palavras – Cristo, Cristao? Não é suficiente tem estas palavras. A questão mais profunda diz respeito ao conteúdo que está nestas palavras. Para o conteúdo que varia, varia também a vitalidade. Então, a India me ensinou uma segunda coisa: o principal conteúdo moral na palavra cristão deve ser o Sermão do Monte.



India esta nos forçando a encarar de novo o Sermão do Monte. Ela insiste que isto é cristianismo. Não importante o quanto nós podemos apontar para os nossos credos, ela insiste em nos apontar para padrão mostrando no Monte. O fato é que o Sermão do Monte não são os nossos credos. Como o Credo Apostolico agora permanece, você pode aceitar cada palavra disto ou deixar a parte essencial intocada. Suponha que tenhamos escrito o nosso credo e repetimos cada vez com convicção: “creio no Sermão do Monte e sua maneira de viver, e pretendo, com a ajuda de Deus, encarnar isto”! O que teria acontecido? Eu tenho certeza que se esta tivesse sido nossa ênfase principal, a historia da Cristandade teria sido diferente. Com a ênfase nas doutrinas que ficou sem afetar o nosso modo de viver, a igreja cristã pode aceitar Constantino como sua conversão premiada. E ainda Constantino, depois de sua alegada conversão, assassinou seu colega e cunhado Licinius; sentenciou a morte seu sobrinho de 11 anos; matou seu filho mais velho, Crispus; provocou a morte de sua segunda esposa; tomou os cravos que supostamente vieram da cruz de Cristo e usou como seu capacete de guerra e outro no freio de seu cavalo de guerra. Ainda assim, ele foi canonizado pela igreja grega e sua memória é celebrada como alguém igual aos apóstolos. Ele falou e presidiu a abertura do Concilio de Nicéia, que foi convocado para elaborar o credo, ele foi saudado como o bispo dos bispos. Isso poderia ter acontecido se os homens que tivessem se reunido lá colocassem o Sermão do Monte como parte essencial do Credo? Não haveria lugar para isto, então Constantino deveria estar em casa. O que aconteceu foi que a igreja cristã foi conquistada por um guerreiro pagão. E a igreja permite a si mesmo ser conquistada, pois este ideal de Cristo não tinha posse de sua alma. Pela mesma razão, o bispo poderia chutar outro para morte na catedral de Constantinopla para provar sua ortodoxia, e o Monophysites de Alexandre podem gritar: “Assim como está dividida, então devemos ser divididos” e, então, prosseguiram para o abate daqueles que acreditavam na natureza dual de Cristo afim de provar que natureza de Cristo era uma e indivisível.



Estas coisas soam estranhas para os nossos ouvidos, mas é apenas porque as ideias do Sermão do Monte estão reafirmando sua ascendência sobre o nosso espirito e estão começando a voltar a serem centrais no pensamento cristão. Mesmo agora, está longe de de ser uma parte essencial do nosso pensamento cristão. Mesmo agora, em muitos pontos, a ortodoxia do credo é vista como a parte mais essencial do que a ortopraxia dos atos. Temos saudado este ideal, mas não temos tomado isto seriamente. Temos usado isto para polemicas, mas não para praticas. Temos feito como os oficiais britânicos numa das batalhas da guerra Sikh: eles prenderam um general comandante numa torre alta, prenderam a porta, e então foram lutar a batalha por seus próprios princípios. Temos prendido este ideal de Cristo em torres altas de reverencia e respeito e temos saído e lutado a batalha em seus próprios princípios. Temos trancado este ideal de Cristo em altas torres de reverência e respeito e então, saído para lugar a batalha da vida da nossa própria maneira, pelos nossos próprios princípios, ou pela falta deles – para o nosso desastre.

A grande necessidade do cristianismo moderno é a redescoberta do Sermão do Monte como a única maneira prática de vida. Agora, temos um tom de duvida e medo que isto não seria funcional. Sentimos que isto é tentar dar a natureza humana uma tendência que ela não pode tomar, isso seria tentar forçar algo em nós para o qual a natureza humana não foi criada. Housman coloca nestas linhas:

“E desde então, minha alma,

não podemos voar para Saturno ou Mercurio,

Devemos manter, se manter podemos

Elas leis estrangeiras de Deus e homem”

Seriam os princípios dispostos no Sermão do Monte, leis estrangeiras? Seria algo para o qual não fomos criados? Isto nos parece assim- a primeira vista. Chesterton diz que na primeira leitura, se sente que isto gira tudo de ponta cabeça, mas na segunda vez que lê, você descobre que isto coloca tudo no lugar certo. A primeira vez que lê isto, você sente que isto é impossível, na segunda vez, você sente que nada mais é possível. Quanto mais eu ponderei sobre este modo vida, mais eu estou persuadido que ao invés de todas as impossibilidades morais que repousam no Sermão do Monte, como pensamos frequentemente, o fato é que todas as possiblidades morais estão ali, e todas as impossibilidades ficam de fora.

Nos tornamos tão naturalizados em outras maneiras de vida que este modo nos parece estranho. Eu me sento por um longo tempo com minhas pernas cruzadas debaixo de mim e quando vou me levantar para andar, isto é muito doloroso para endireita-las e difícil para me mover adiante. Eu tinha me sentado numa posição não natural por tanto tempo que o funcionamento natural das pernas me pareceu não natural. Mas, apenas por alguns momentos! Uma criança lobo, capturada perto de onde vivo na India, tinha vivido com os lobos dos dois até os onze anos. Ela corrida com as quatro mãos. Suas dobras dos joelhos ficaram rígidas e ampliadas para correr desta forma. Comia apenas carne crua, e quando foi colocada numa dieta mais civilizada, teve desinteria e morreu. Um ser humano tinha vivido num ambiente de lobos a partir dos princípios dos lobos com a dieta dos lobos por nove anos. A natureza humana ficou tão acomodada a si mesmo a isto que parece que é seu modo natural de viver e os nossos modos mais humanos parecem não naturais. Temos vivido tanto tempo nos princípios dos lobos do egoísmo, da competição e da luta que o modo cristão do altruísmo, da cooperação e do amor nos parece algo estrangeiro.

O Sermão do Monte pode parecer impossível, mas, apenas em nossos piores momentos. Em nossos grandes momentos, isto é, em nossos reais momentos, que sentimos que tudo o mais é inacreditavelmente impossível, uma absurdo. Quando temos esta percepção, ficamos conscientes interiormente que isto é um vislumbre.

Contudo, nenhum lugar tem o evangelho mais emasculado e explicado que aqui. Um comentarista dos dias modernos diz que “devemos não degradar estas palavras por um literalismo grotesco” Não, nem devemos desnaturar elas por insinuação ou uma espiritualização fútil. O perigo não é o literalismo, mas a explicação literária que desvirtua seus desafios através de ferramentas literárias. Anos atrás, quando eu perguntei para Mahatma Ghandi, como poderíamos deixar o cristianismo natural na India, então ele deixaria de ser uma coisa estrangeira, entre outras coisas, ele respondeu: “ Praticar sua religião sem adulterar ela ou sem enfraquece-la” e ele tinha em mente o Sermão do Monte. Foi a insistência literal de Mahatma Gandhi sobre o seu modo de vida que ganhou a liberdade politica que assustou e desafio todo o mundo ocidental. Ele provou que isto é possível, que isto é poderoso. Esta nova descoberta, por um hindu, de uma verdade há muito enterrada sob os armamentos do combativo Oeste tem sido uma das mais importantes descobertas dos tempos modernos. Quando escrevi para um amigo sábio do Oeste que estava me preparando para escrever um livro neste assunto, ele me disse, “eu supunha que você tinha que escrever este livro”. Ele estava certo. Com este desafio nos encarando, uma nação não-cristã agindo, numa escala tão propalada, baseada num dos mais profundos princípios do Sermão do Monte, não temos, agora, nenhuma alternativa a não ser “sermos cristãos de acordo com este padrão, ou deixar de ser cristãos em qualquer forma efetiva de todo. Devemos agora parar de embalsamar isto. Devemos incorporar isto ou abdicar. Um colega professor mulçumano levantou no encerramento de um dos meus encontros e me agradeceu por estar dizendo que estava dizendo, mas me apresou para ir para o Oeste e pregar este Sermão do Monte para eles, porque eles precisam. O aplauso que se seguiu a esta fala mostrou que a audiência concordou. Eu repliquei que eu deveria, mas que a necessidade humana e o pecado humano não eram geográfico, mas em todo o mundo, existe a dificuldade de dizer onde começa o Leste e termina o Oeste, que todos estamos em profunda necessidade. Enquanto, acreditava que minha resposta era verdadeira, entretanto, em relação ao Sermão do Monte, há apenas duas grandes questões, uma do Leste e outra do Oeste. O Leste pergunta: "Se isto funciona?" e o Oeste, " Se podemos trabalhar isto?". Seria isto realmente viável? O cerne do problema religioso do mundo está aqui. Dean Inge corretamente diz que se o cristianismo não pode nos assegurar um lugar de conduta ética, se ele perde a batalha neste lugar, então o que sobra não merece ser lutado. Para você, se o lado ético do nosso evangelho não é viável, então o aspecto da redenção perde seu valor. O centro e a substância da conduta ética cristã está no Sermão do Monte. Se ele for impraticável, então não há muito que resta. Devemos voltar nossas conduta sobre outros modos de vida e ficar diante de altares mortos, repetindo credos mortos.


Estamos insistindo que o que podemos chamar de experiência cristã é uma necessidade absoluta e sem aquilo que o Pentecostes provê, não podemos ser cristãos em qualquer sentido vital. Isto é verdade. Mas, isto deve ser lembrado que o Pentecoste repousa no Sermão do Monte. Quando os discípulos recebem o reforço divino, ele vem destes canais de conduta. Pentecoste tem o conteúdo do Sermao do Monte em si e, portanto, o poder manifestado é cristão. Pentecostes divorciado do Sermão do Monte é apenas uma reunião espiritualista e não poder espiritual.






Mas, este modo de vida foi atenuado e feito seguro. O Marques de Wellesley, há cem anos atrás, disse que era perigoso enviar bíblias à India com suas ideias de igualdade humana sem a salvaguarda de um comentário. O Marques estava certo. A Bíblia, com suas ideias de igualdade humana, era perigosa para o tipo de sociedade existente na India, organizada em castas. Era também perigosa para o tipo de império que existia na Grã-Bretanha, organizada no direito do branco governar. Estas ideias de igualdade humana tem sido trabalhadas desde então e o resultado é a democracia tomando conta de India, e o império tem sido transformado e salvo através de concessão de direito de autonomia para cada parte que o constituía, incluindo a India. O que era visto como um perigo, se tornou a saída.






O Sermão do Monte parece perigoso. Ele desafia toda a concepção pressuposta pela sociedade moderna. E troca isto por uma nova concepção, animada com uma nova motivação, e direcionada a um novo objetivo. Um dia estava numa audiência de hindus e mulçumanos e estava interpretando o Sermão do Monte. Diante de mim, sentaram-se dois homens da CID, o serviço secreto da policia e tomaram notas do que estava dizendo, para enviar ao governo afim de checar se havia algo sedicioso que poderia ser encontrado ali. Um governo cristão enviou agentes hindu e mulçumano para ver se o sermão do monte era sedicioso! E é! As ideias dispostas no Sermão do Monte é a carta de liberdade de todos os homens, de todas as raças e de todas as classes. A policia secreta da Moderna Ordem Economica poderia poderia enviar alguém para ver se há algo sedicioso contra sua ordem no Sermão. E há! Este Sermão derruba toda a ideia de competividade egoísta que subjaz a vida econômica moderna e demanda que os homens sejam cooperativos em amor e sofram prejuízos. Os militaristas poderiam enviar seus agentes secretos para ver se há algo de rebeldia contra seus métodos no Sermão. E também há! O Sermão desafia todo o conceito de força que o militarismo sustenta e o substitui pelo método do amor. AS igrejas poderia enviar representantes para ver se há alguma sediciosa contra elas. E há! Denominacionalismo que, por vezes, se expressa dizendo que não há muito mais do que apenas uma raça eclesiástica na competição. Descobriria que o Sermão do Monte seria sedicioso, porque ele demanda que indivíduos, grupos e nações percam a si mesmos na cooperação para que encontrem a si mesmos numa maior fraternidade.






O Sermão do Monte foi e é sedicioso. Ele colocou finalmente Jesus na cruz, e fez o mesmo com os seus seguidores que seguirão isto na vida moderna. Mas isto não termina aí. Poderia haver uma ressurreição tão grande, tão transformadora no viver humano eu poderíamos conhecer se realmente experimentarmos que ele é o único modo para nós vivermos.






A pequena garota, de que o Dr Glover conta, expressou este lado desafiador do evangelho quando ela disse para sua irmã: "Barbara, eu te falo que a Biblia não termina em Timóteo, mas em Revoluções". E é assim! A mãe de Jesus tomou esta nota do evangelho quando, ela disse qual seria o impacto de Jesus sobre a vida, ele colocou isto numa canção inspiradora: Dispersou os que no coração tem pensamentos soberbos ( revolução pessoal) Derrubou dos seus tronos os poderosos (revolução prática)Exaltou os humildes, encheu de bens os famintos, despediu vazios os ricos( revolução social e econômica). Aqui estava a Grande Transformação sendo introduzida na vida. Que poderia ir do aspecto pessoal para o econômico, o social e o politico.


"Uma razão por que eu venho ouvir você", me disse um ardente hindu nacionalista um dia,"é que enquanto você não fala nada sobre politica, ainda você supre ideia do evangelho sobre os movimentos para liberdade em que a India pode viver". O Sermão do Monte é a carta original da liberdade humana. O nacionalismo hindu ficou perante a corte e disse para o promotor publico cristão:" temos aprendido da sua Biblia, nossas ideias de liberdade. Temos ensinado elas para o nosso povo, e é por isto que nos colocam em prisões". Alguém já disse que " é agora impossível na língua inglesa argumentar a favor da escravidão". As ideias da liberdade estão tão permeadas na linguagem, que não poderia ela ser usada como um veiculo para prender o homem à escravidão. Deixe qualquer um saturado com pensamento do Sermão do Monte, ele não poderá tentar arguir que um homem pode ser escravo, ele não descansará até que todo homem seja livre, incluindo a si mesmo.






"Amamos o Cristo do Sermão do Monte e Cristo da Túnica sem emendas do Calvario, mas o Cristo do dogmatismo. Não! me disse um hindu pensativo um dia. Eles seriam distintos? Tem o Cristo do Sermão do Monte e o Cristo dos credos? São diferentes? Por que? então a grande tarefa diante da cristandade é os colocar juntos. Pois nenhum outro tipo de cristianismo pode liderar esta era turbulenta.



Um pequeno homem em suas vestes simples pode pegar do Sermão do Monte, um dos seus princípios centrais, aplicar isto como um método para conquistar a liberdade humana, e o mundo





A little man In a loin cloth in India picks out
from the Sermon on the Mount one of its central
principles, applies it as a method for gaining
human freedom, and the world, challenged and
charmed, bends over to catch the significance of
the great sight. It is a portent of what would
happen if we would take the whole of the Sermon
on the Mount and apply it to the whole of
life. It would renew our Christianity it would
renew the world. Our present-day Christianity,
anaemic and weak from the parasites that have
fastened themselves on its life through the centuries,
needs a blood-transfusion from the Sermon
on the Mount in order to renew radiant
health within it that it may throw off these parasites
and arise to serve and save the world.
But will this ideal work? Is it practicable?
Just here is the central area of our skepticism.
We are not quite sure that the Sermon on the
Mount is the Sermon for the mart. We are not
sure, and an unsure place is an unsafe place*
We must go on or go back. We must be more
Christian or less.
I trust this book will be an unhesitating, but
not a too-light, easy, "Yes" to the question as to
whether the Sermon on the Mount is practi

quarta-feira, abril 25, 2018

Love Thy Body de Nancy Pearcey : destaques


Love Thy Body: Answering Hard Questions about Life and Sexuality (Nancy R. Pearcey)
- Seu destaque ou posição 4465-4468 | Adicionado: quinta-feira, 5 de abril de 2018 08:19:14

By contrast, Christianity assigns the human body a much richer dignity and value. Humans do not need freedom from the body to discover their true, authentic self. Rather we can celebrate our embodied existence as a good gift from God. Instead of escaping from the body, the goal is to live in harmony with it.
==========
Love Thy Body: Answering Hard Questions about Life and Sexuality (Nancy R. Pearcey)
- Seu destaque ou posição 4508-4510 | Adicionado: quinta-feira, 5 de abril de 2018 11:27:34

“If you abolish sex distinctions in law, you can abolish state recognition of biological family ties, and the state can regulate personal relationships and consolidate power as never before.”
==========
Love Thy Body: Answering Hard Questions about Life and Sexuality (Nancy R. Pearcey)
- Seu destaque ou posição 4520-4524 | Adicionado: quinta-feira, 5 de abril de 2018 11:29:45

Until now, the family was seen as natural and pre-political, with natural rights. That means it existed prior to the state, and the state merely recognized its rights. But if the law no longer recognizes natural sex, then it no longer recognizes natural families or natural parents, only legal parents. That means parents have no natural rights, only legal rights. You, as a mother or father, have only the rights the state chooses to grant you.
==========
==========
Love Thy Body: Answering Hard Questions about Life and Sexuality (Nancy R. Pearcey)
- Seu destaque ou posição 964-968 | Adicionado: quarta-feira, 18 de abril de 2018 15:16:55

Princeton ethicist Peter Singer writes, “the life of a human organism begins at conception” but “the life of a person—. . .[a] being with some level of self-awareness—does not begin so early.”6 For Singer, simply being human has no moral significance.
==========
Love Thy Body: Answering Hard Questions about Life and Sexuality (Nancy R. Pearcey)
- Seu destaque ou posição 1060-1062 | Adicionado: quarta-feira, 18 de abril de 2018 16:56:27

They are matters of degree—quantitative differences. What we do not find is a clear qualitative transition point for the momentous transformation from a non-person to a person.
==========
Love Thy Body: Answering Hard Questions about Life and Sexuality (Nancy R. Pearcey)
- Seu destaque ou posição 1097-1100 | Adicionado: quarta-feira, 18 de abril de 2018 18:18:27

A Christian concept of personhood depends not on what I can do but on who I am—that I am created in the image of God, and that God has called me into existence and continues to know and love me. Human beings do not need to earn the right to be treated as creatures of great value. Our dignity is intrinsic, rooted in the fact that God made us, knows us, and loves

domingo, abril 22, 2018

Papéis dos Gêneros segundo 1 Timóteo 2


Quero, pois, que os homens orem em todo o lugar, levantando mãos santas, sem ira nem contenda. Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos,Mas (como convém a mulheres que fazem profissão de servir a Deus) com boas obras. A mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição. Não permito, porém, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio. Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva. E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão. Salvar-se-á, porém, dando à luz filhos, se permanecer com modéstia na fé, no amor e na santificação.  1 Timóteo 2:8-15





"Uma vez mais, descobrimos uma dinâmica perturbadora: as igrejas estavam libertando os homens da responsabilidade de ser líderes religiosos. Eles estavam colocando a religião e a moralidade no domínio da mulher __ algo macio e confortante, e não tônico e exigente."
  Nancy Pearcey, Verdade Absoluta, p. 248





O que a Bíblia fala sobre o que o papel do masculino e do feminino.



O texto que lemos parece que é estranho ao restante das Escrituras, vemos na Bíblia, mulheres que foram profetisas, juízas, mais sabias que seus maridos, o próprio Paulo diz que não há mais diferença entre homem e mulheres, todos são iguais em Cristo ou até mesmo, a própria criação que coloca o homem e a mulher em pé de igualdade.



Para entendermos este texto, temos que lembrar que Timóteo era um jovem pastor que estava em Éfeso, Paulo escreve para ele para o aconselhar neste trabalho. Em Éfeso, nós temos o maior templo da antiguidade, o templo da deusa Artemis, que tinha 130 metros de cumprimento por 67 metros de larguras com colunas de mármores de 20 metros de altura.  Servida por cerca de 1000 sacerdotisas. 

 Em Atos 19, Lucas cita o templo:



Então o escrivão da cidade, tendo apaziguado a multidão, disse: Homens efésios, qual é o homem que não sabe que a cidade dos efésios é a guardadora do templo da grande deusa Diana, e da imagem que desceu de Júpiter? Atos 19:35



O texto deve ser entendido, pensando neste problema local da igreja em Éfeso.



OS HOMENS: a oração dos homens.



Quero, pois, que os homens orem em todo o lugar, levantando mãos santas, sem ira nem contenda. 1 Timóteo 2:8



1.      ORAÇÃO É O SIGNIFICADO DE SER HOMEM

2.      ORAR EM TODO LUGAR

3.      FORÇA EM DEUS, NÃO EM SI

4.      SEM IRA E SEM CONTENDA, MAS UM HOMEM DE ORAÇÃO





1.      ORAÇÃO É COISA DE HOMEM

Naquele lugar, os aspectos religiosos e seus serviços eram coisa de mulher.  Os homens não precisavam se preocupar com isto. Paulo quer que os homens sejam conhecidos como pessoas de oração.



Orando em todo lugar( "em panti topo"): Paulo quer que sejam conhecidos como pessoas de oração, normalmente, pensamos em uma mulher como a pessoa de oração, e não, nos homens.



O que o apóstolo deseja é que os homens da igreja de Éfeso sejam conhecidos como homens de oração, que estão em todos lugares e antes de qualquer coisa, orando.





2.      ORANDO EM TODO LUGAR

Os homens não devem apenas manifestar sua vida de oração nos templos, mas em todos os lugares. O sacerdócio do lar é do esposo.  

(há uma correlação com o texto de Malaquias 1:11: Pois do oriente ao ocidente grande é o meu nome entre as nações. Em toda parte incenso e ofertas puras são trazidos ao meu nome, porque grande é o meu nome entre as nações", diz o Senhor dos Exércitos.)



3.      FORÇA EM DEUS, E NÃO EM SI.

Que não levantem suas mãos não para manifestar sua força com ira ou contenda, mas levantem as mãos santas para abençoar.  São homens que lutam suas batalhas em oração, que usam sua força para vencer as lutas orando e não esbravejando ou sujando as mãos.





Lembre-se, o apóstolo que um modelo de masculinidade em mente que é o nosso Senhor Jesus, um homem cuja força está na oração.





SABEDORIA: O VALOR DAS MULHERES



Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos, 1 Timóteo 2:9



“Que do mesmo modo”: Paulo se dirige às mulheres, após repreender os homens. Não há acepção aqui, da mesma forma que repreendeu os homens, agora há um conselho às mulheres.



Paulo desejava que as mulheres fossem conhecidas por outros valores além de sua beleza pessoal ou do seu vestuário.



Há um problema de vaidade serio naquela cidade, como vemos no capitulo 6, havia uma confiança exagerada na riqueza. Lembre-se que era uma sociedade que valorizava as mulheres por sua fertilidade e beleza.



Paulo está dizendo a Timoteo que a beleza das mulheres está nos valores que elas possuem. Naquela sociedade, as mulheres não serviam para ser sabias, mas apenas reprodutoras. Paulo usa um termo modéstia (σωφροσυνης – sofronesis), que significa modéstia, auto-controle, boa mente.



Mais do que sua aparência, Paulo está dizendo que naquela igreja, aquelas mulheres tem como valor a sabedoria delas.



Mas (como convém a mulheres que fazem profissão de servir a Deus) com boas obras.

1 Timóteo 2:10



Mas, elas não serão apenas conhecidas apenas por sua sabedoria, mas também por causa de suas boas obras.  O texto usa a palavra grega αγαθων (agaton), que é aquela obra que você contempla como extraordinária, fora do comum.



Na igreja do Senhor Jesus, as mulheres são conhecidas por suas boas obras também e assim também por sua fé. 



Paulo quer que as mulheres da igreja de Éfeso sejam mais do que um rostinho bonito, mas mulheres de valores, de fé e de boas obras.



Hoje, ainda somos uma sociedade, que acha que mulheres apenas podem alcançar seu valor através da beleza e da sua atração, que não valorizam a mulher além do seu corpo.



COMO RELACIONAM HOMENS QUE ORAM E MULHERES QUE PENSAM.



A mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição. Não permito, porém, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio. Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva.  E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão. Salvar-se-á, porém, dando à luz filhos, se permanecer com modéstia na fé, no amor e na santificação.  1 Timóteo 2:11-15



Agora, Paulo vai falar de como se dá a relação entre estes homens que oram e estas mulheres que são sabias.

Não devemos esquecer que ele está escrevendo para a sociedade de Éfeso, onde as mulheres ocupavam uma superioridade moral e espiritual sob os maridos por causa do culto à Diana, como vemos na frase "use de autoridade sobre o marido".


Hoje, quando lemos este texto, tendemos a imaginar que a posição de ensino significa uma posição de autoridade e poder, como a mulher não ensina, ela não tem poder e nem autoridade.



Contudo, em Jesus, poder e autoridade são entendidos como serviço.  Aquele que tinha todo poder e autoridade é servo de todos. Não se trata de dominação do outro, mas da capacidade de poder desenvolver o outro, de servir seus irmãos.



Devemos entender que a posição de ensino é uma posição de serviço e não de dominação. No texto, devemos lembrar que porque Adão foi criado primeiro que Eva, a reponsabilidade de cuidar de Eva era de Adão. 



Ele diz que na transgressão, Eva foi enganada e dai se tornou transgressora. Mas, quando aconteceu a queda, Deus chama a Adão para prestar contas. A responsabilidade de cuidar daquele jardim foi dada para Adão porque ele veio primeiro, a prioridade de ter vindo primeiro não é porque ele é superior, mas porque era a reponsabilidade. O problema é que Eva foi enganada, é muito fácil enganar alguém que está fora de sua reponsabilidade. A culpa é de Adão que sabia e não ajudou.



O texto está falando para os homens. Eles tinham que entender que a responsabilidade de ensinar era deles, de servir suas mulheres espiritualmente, eles tinham que entender que elas estavam trazendo para dentro da igreja os hábitos que tinham na religião pagã, onde apenas as mulheres tinham papel religioso, e os homens estavam se esquivando de sua atribuição baseando-se naquele costume local, indo contra a responsabilidade deles dada por Deus.



Timoteo deveria ensinar os homens que o assunto espiritual não é uma conversa feminina, mas masculina. Assim, como Cristo serviu a igreja, os homens devem servir suas esposas.



Não é a toa, que os esportistas são tao valorizados em nossa cultura, pois são homens que tem foco, disciplina, força.



Uma das coisas que mostram que estamos em Adão, e fora de Cristo é a nossa falta de incapacidade ou irresponsabilidade para com as mulheres.



Este texto não está falando sobre a usurpação do poder pelas mulheres, mas da ausência dos homens em exercer sua responsabilidade.



Todas as vezes, que os homens deixam de ensinar, as mulheres vão dar ouvidos a outros conselhos. A mesma carta fala disso:  O Espírito diz claramente que nos últimos tempos alguns abandonarão a fé e seguirão espíritos enganadores e doutrinas de demônios. Tais ensinamentos vêm de homens hipócritas e mentirosos, que têm a consciência cauterizada e proíbem o casamento e o consumo de alimentos que Deus criou para serem recebidos com ação de graças pelos que crêem e conhecem a verdade. (1Tm 4:1-3)



HOMENS DE JOELHOS, MULHERES DE PÉ.

Um homem que é capaz é incapaz de fazer um monte de coisas, alguém que descobriu que a vitória vem de joelhos não sai espancando com ira e contenda.



No verso 15, naquela sociedade as mulheres tinham seu valor apenas pela geração de pessoas, ele está convidando as mulheres a gerar na fé, homens e mulheres com esses valores, pois somente com estes valores é possível permanecer na fé, na santidade e no bom senso.

Outro modo de lermos isto é que a maldição de Genesis 3 agora será redimida. 

G K Beale fala que este versículo quer dar uma esperança a mulher na perspectiva de uma nova visão de Gn 3:16, mas também para a importância do casamento que estava sendo bombardeado como vemos em 1Tm 4:3 (Commentary on the New Testament use of the Old Testament)




N.T. Wright sobre o Silêncio: a palavra para silêncio é para alguém que está estudando, quando vemos em Lucas 10, a história de Marta e Maria, há algo que não entendemos claramente ali, que Maria está invadindo um espaço masculino de aprender do Mestre para ensinar os novos discípulos, mesmo que os homens não permitam, Jesus concede as mulheres a possibilidade de aprender diretamente dele, mas isso não quer dizer que elas vão exercer uma posição de autoridade na igreja. 


Não devemos ler esta passagem como uma barreira à tarefa e serviço da mulher dentro da Igreja; devemos fazê-lo à luz de seu pano de fundo judeu e da situação numa cidade grega. E devemos buscar o pensamento permanente de Paulo na passagem que nos diz que se apagaram as diferenças, e que os homens e as mulheres, os escravos e os homens livres, os judeus e os gentios, todos são aptos para servir a Cristo. 

William Barclay, 1Timoteo, p. 81


Fonte: Pedro Dulci,  Homens e Mulheres na Igreja de Cristo

quinta-feira, abril 19, 2018

aborto


“Ouvindo esta a saudação de Maria, a criança lhe estremeceu no ventre; então, Isabel ficou possuída do Espírito Santo. E exclamou em alta voz: Bendita és tu entre as mulheres, e bendito o fruto do teu ventre!” (Lucas 1:41-42)



Não matarás Ex 20:13



«Antes que te formasses no ventre te conheci, e antes que saísses da madre te santifiquei» (Jer.1:5). «Eis que em iniquidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe» [ora, para ser em iniquidade, tinha que ter espirito; se assim é, mesmo morrendo por aborto, só pela obra de Jesus pode ir para o céu !...] (Salmo 51:5). «O Senhor me chamou desde o ventre, desde as entranhas de minha mãe fez menção do meu nome;... O Senhor me formou desde o ventre para seu servo...» (Isaías 49:1,5). Lemos ainda no Salmo 139: "Pois Tu formaste os meus rins; entreteceste-me no ventro de minha mãe. Os Teus olhos viram a minha substância ainda informe, e no Teu livro foram escritos todos os dias, sim, todos os dias que foram ordenados para mim, quando ainda não havia nem um deles".

Legislação sobre aborto

Codigo Penal

Art. 123 - Matar, sob a influência do estado puerperal, o próprio filho, durante o parto ou logo após:

Pena - detenção, de 2 (dois) a 6 (seis) anos.

Aborto provocado pela gestante ou com seu consentimento

Art. 124 - Provocar aborto em si mesma ou consentir que outrem lho provoque:

Pena - detenção, de 1 (um) a 3 (três) anos.

Aborto provocado por terceiro

Art. 125 - Provocar aborto, sem o consentimento da gestante:

Pena - reclusão, de 3 (três) a 10 (dez) anos.

Art. 126 - Provocar aborto com o consentimento da gestante:

Pena - reclusão, de 1 (um) a 4 (quatro) anos.

Parágrafo único - Aplica-se a pena do artigo anterior, se a gestante não é maior de 14 (quatorze) anos, ou é alienada ou débil mental, ou se o consentimento é obtido mediante fraude, grave ameaça ou violência.

Forma qualificada

Art. 127 - As penas cominadas nos dois artigos anteriores são aumentadas de um terço, se, em conseqüência do aborto ou dos meios empregados para provocá-lo, a gestante sofre lesão corporal de natureza grave; e são duplicadas, se, por qualquer dessas causas, lhe sobrevém a morte.

Art. 128 - Não se pune o aborto praticado por médico:

Aborto necessário

I - se não há outro meio de salvar a vida da gestante;

Aborto no caso de gravidez resultante de estupro

II - se a gravidez resulta de estupro e o aborto é precedido de consentimento da gestante ou, quando incapaz, de seu representante legal.



Lei 12845/2013

Art. 2o  Considera-se violência sexual, para os efeitos desta Lei, qualquer forma de atividade sexual não consentida.

ADPF 54, 13 DE ABRIL DE 2012- PERMITE NOS CASOS DE FETO SEM CEREBRO.

29/11/2016- ABORTO NOS TRES PRIMEIROS MESES NÃO É CRIME. HABEAS CORPUS 124.306

“A interrupção voluntária da gestação não deve ser criminalizada, pelo menos, durante o primeiro trimestre da gestação. Durante esse período, o córtex cerebral – que permite que o feto desenvolva sentimentos e racionalidade – ainda não foi formado, nem há qualquer potencialidade de vida fora do útero materno. Por tudo isso, é preciso conferir interpretação conforme a Constituição aos Artigos 124 e 126 do Código Penal, para excluir do seu âmbito de incidência a interrupção voluntária da gestação efetivada no primeiro trimestre”, disse Barroso.





DESENVOLVIMENTO DO FETO

Primeiro mês

A fecundação – união entre o óvulo e o espermatozóide – dá origem ao zigoto, que se instala no útero após uma série de divisões celulares. Nesse momento, a placenta também começa a se formar, envolvendo o embrião com o líquido amniótico, que auxilia na alimentação do embrião e o protege caso a mãe sofra uma queda. Ao fim do primeiro mês, ele mede entre 0,4 cm e 0,5 cm.

Segundo mês

No segundo mês, o coração bate de forma acelerada, aproximadamente 150 vezes por minuto. É nessa fase que se inicia a formação do sistema nervoso e dos aparelhos digestivo, circulatório e respiratório. Os olhos, a boca, o nariz, os braços e as pernas também começam a se desenvolver. O comprimento do embrião chega a 4 cm.

Terceiro mês

O período fetal, que começa no terceiro mês de gestação, é marcado pelo desenvolvimento do esqueleto, das costelas e dos dedos de mãos e pés. Todos os órgãos internos se formam até o fim do mês, quando o feto mede 14 cm.

Quarto mês

Nessa fase, o bebê mede cerca de 16 cm e começa a se movimentar, sugar e engolir. Ele também é capaz de perceber alterações de luz e diferenciar gostos amargos e doces.

Quinto mês

A partir do quinto mês, nascem os primeiros fios de cabelo, os cílios e as sobrancelhas. Formam-se as trompas e o útero nas meninas e os órgãos genitais dos meninos podem ser vistos no exame de ultrassom. O bebê tem cerca de 25 cm de comprimento e consegue realizar movimentos como franzir a testa e chupar o dedo.

Sexto mês

O bebê mede cerca de 32 cm e consegue reconhecer sons externos, especialmente a voz e a respiração da mãe. Lábios e sobrancelhas começam a ficar mais visíveis e as pontas dos dedos apresentam sulcos que se tornarão as impressões digitais.

Sétimo mês

O bebê mede entre 35 cm e 40 cm. Dentro do útero, boceja, abre os olhos, dorme e se movimenta. Os órgãos internos continuam crescendo e ele ouve e reage a estímulos sonoros, como músicas e conversas.

Oitavo mês

Nesse período, o bebê mede entre 40 cm a 45 cm e começa a se preparar para ficar em posição de parto – de cabeça para baixo. Para ajudar a manter a temperatura do bebê depois do nascimento, uma camada de gordura se forma sob a pele. Os pulmões estão quase prontos e os ossos ficam mais resistentes.

Nono mês

O bebê mede entre 45 cm e 50 cm, todos os órgãos estão completamente formados e ele já consegue controlar a respiração. Em torno da 40ª semana, ele está preparado para nascer.




quarta-feira, março 28, 2018

Como se relacionar na igreja.


O apostolo Paulo diz que cristãos são membros uns dos outros (Rm 12:5). Isto é mais profundo que o conceito moderno de ser membro de um clube.

- a palavra grega melos era uma palavra comum para uma parte do corpo humano. Paulo está dizendo que vocês são os órgãos uns dos outros, vocês são olhos, os braços e o coração uns dos outros.

- crentes são profundamente interdependentes. Em nós mesmos somos radicalmente incompletos. Quando Paulo diz “não minta, porque são membros uns dos outros”(Ef. 4:25). Ele quer dizer que quando contamos uma mentira, estamos cortando a nós mesmos dos outros crentes, é como se perfurássemos a nós mesmos.

-As implicações deste princípio repetidas nos vários uns aos outros que aparecem nas cartas do Novo Testamento.





AFIRMANDO UNS AOS OUTROS

Afirmando a força, habilidade e dons uns dos outros.

Rm 12:10 – Honrar uns aos outros

Tg 5:9 -  Não se queixem uns dos outros

Rm 12:3-6 – Confirmando os dons uns dos outros.



Afirmando uns aos outros a igual importância em Cristo.

Rm 15:7- Aceitando uns aos outros como Cristo nos aceitou

1Co 12:25 – tendo igual cuidado uns dos outros

1Pe 5:5 -sendo humildes uns aos outros

Tg 2:1 Não mostrando favoritismo



Afirmando uns aos outros através de afeição visível

Rm 16:16 Saudando uns aos outros com osculo santo

Tg 1:19  Ouvindo mais do que falando

1Ts 3:12 crescendo em amor uns pelos outros



COMPARTILHANDO UNS COM OUTROS.

Compartilhando espaço, bens e tempo uns com outros

Rm 12:10 – Mostrando amor fraternal- tratando o outro como familiar

1Ts 5:15 – Fazer o bem uns aos outros.

1Pe 4:9 – Oferecendo hospitalidade uns aos outros.



Compartilhando as necessidades e problemas.

Gl 6:2 – Carregando o fardo

1Ts 5:11 – Encorajando



Compartilhando nossas crenças, pensamentos e espiritualidade uns com os outros.

Rm 12:16 – Se tornando uma só mente

Cl 3:16 – Ensinando a Bíblia

Ef 5:19 – Cantando louvores a Deus





SERVINDO UNS AOS OUTROS

Servindo uns aos outros através da prestação de contas.

Tg 5:16 Confessando nossos pecados e orando

Rm 15:14 Admoestando – confrontando amorosamente-.

Hb 3:13 – Exortando uns aos outros diariamente sobre nossos pecados

Ef 4:25 Falando a verdade



Servindo uns aos outros através de perdao e reconciliação

Ef 4:2 – sendo humildes

Ef4:32 – perdoando uns aos outros como Cristo nos perdoou

Gl 5:26 – não provocando

Rm 14:19 – não condenando uns aos outros

Tg 4:11 – não atacando



Servindo aos interesses uns dos outros mais do que seus

Rm 14:9 – Edificando uns aos outros.

Gl 5:13 – sendo servos uns dos outros