terça-feira, julho 14, 2015

A ESTRANHA E COMUM FAMÍLIA DE MICA

O livro de Juízes se concentrou até agora nos tempos que Deus interveio para salvar Israel de seu declínio espiritual e queda na idolatria. Cada episódio da narrativa segue um padrão cíclico de rebelião, retribuição, arrependimento e resgate.  Vimos que a rebelião vai se aprofundando e cada vez mais há menos arrependimento. Como também, a salvação é tida com uma menor cooperação da parte dos israelitas. Finalmente, o último juiz, Sansão sozinho. 

Os quatro últimos capítulos parecem não seguir uma ordem cronológica. Eles relatam em mais detalhes como era a vida do povo de Israel durante o período de Juízes. 


QUEM É MICA?
Havia um homem chamado Mica, dos montes de Efraim, que disse certa vez à sua mãe: "Os treze quilos de prata que foram roubados de você e pelos quais eu a ouvi pronunciar uma maldição, na verdade a prata está comigo; eu a peguei".Disse-lhe sua mãe: "O Senhor o abençoe, meu filho!" (Jz 17:1-2)

Micá roubou três quilos (mil e cem moedas) de prata que sua mãe tinha acumulado. Ela não sabia que ele havia roubado isto, e então proclamou uma maldição sobre o ladrão. Ele, ouvindo a maldição, confessou que roubou de sua mãe e devolveu a quantia. 

E havia um homem da montanha de Efraim, cujo nome era Mica.
O qual disse à sua mãe: As mil e cem moedas de prata que te foram tiradas, por cuja causa lançaste maldições, e de que também me falaste, eis que esse dinheiro está comigo; eu o tomei. Então lhe disse sua mãe: Bendito do Senhor seja meu filho.
Juízes 17:1,2
E havia um homem da montanha de Efraim, cujo nome era Mica.
O qual disse à sua mãe: As mil e cem moedas de prata que te foram tiradas, por cuja causa lançaste maldições, e de que também me falaste, eis que esse dinheiro está comigo; eu o tomei. Então lhe disse sua mãe: Bendito do Senhor seja meu filho.
Juízes 17:1,2
E havia um homem da montanha de Efraim, cujo nome era Mica.
O qual disse à sua mãe: As mil e cem moedas de prata que te foram tiradas, por cuja causa lançaste maldições, e de que também me falaste, eis que esse dinheiro está comigo; eu o tomei. Então lhe disse sua mãe: Bendito do Senhor seja meu filho.
Juízes 17:1,2
E havia um homem da montanha de Efraim, cujo nome era Mica.
O qual disse à sua mãe: As mil e cem moedas de prata que te foram tiradas, por cuja causa lançaste maldições, e de que também me falaste, eis que esse dinheiro está comigo; eu o tomei. Então lhe disse sua mãe: Bendito do Senhor seja meu filho.
Juízes 17:1,2
E havia um homem da montanha de Efraim, cujo nome era Mica.
O qual disse à sua mãe: As mil e cem moedas de prata que te foram tiradas, por cuja causa lançaste maldições, e de que também me falaste, eis que esse dinheiro está comigo; eu o tomei. Então lhe disse sua mãe: Bendito do Senhor seja meu filho.
Juízes 17:1,2
E havia um homem da montanha de Efraim, cujo nome era Mica.
O qual disse à sua mãe: As mil e cem moedas de prata que te foram tiradas, por cuja causa lançaste maldições, e de que também me falaste, eis que esse dinheiro está comigo; eu o tomei. Então lhe disse sua mãe: Bendito do Senhor seja meu filho.
Juízes 17:1,2
O que isto nos conta sobre o caráter de Mica? Nos fala que ele não é nem uma pessoa ruim nem boa. Se ele fosse ruim, não devolveria o dinheiro. Se ele fosse bom, não teria roubado. Ele é um homem sem muita substância, uma pessoa de fraco caráter e sem princípios.

Nestes tempos, uma maldição era tomada a sério. Uma maldição bíblica era uma predição da quebra da lei que traria destruição. Mas no mundo pagão, a maldição tinha algo de mágico, isto é o padrão da família de Mica, a maldição, segue-se uma bênção.


COMO ERA ESTA MÃE?

De uma certa forma, ela era boa para perdoar. Ela imediatamente perdoa ele com uma bênção assim que recebe de volta seu tesouro. Mas, isto nos dá um vislumbre da razão do vazio de Mica. A rapidez da mudança da mãe sem qualquer processo ou limpeza para remover a infecção, não um processo de arrepedimento, apenas de medo em relação a maldição. Não existe uma análise de coração para discernir as razões e as motivações para o roubo e nem uma mudança humilde ou graça para mudar.

E havia um homem da montanha de Efraim cujo nome era Mica, 2   o qual disse à sua mãe: As mil e cem moedas de prata que te foram tiradas, por cuja causa deitavas maldições e também as disseste em meus ouvidos, eis que esse dinheiro eu o tenho, eu o tomei. Então, disse sua mãe: Bendito seja meu filho do SENHOR. 3   Assim, restituiu as mil e cem moedas de prata à sua mãe; porém sua mãe disse: Inteiramente tenho dedicado este dinheiro da minha mão ao SENHOR para meu filho, para fazer uma imagem de escultura e de fundição; de sorte que agora to tornarei a dar. 4   Porém ele restituiu aquele dinheiro a sua mãe, e sua mãe tomou duzentas moedas de prata e as deu ao ourives, o qual fez delas uma imagem de escultura e de fundição, e esteve em casa de Mica. 5   E tinha este homem, Mica, uma casa de deuses, e fez um éfode e terafins, e consagrou a um de seus filhos, para que lhe fosse por sacerdote. 6   Naqueles dias, não havia rei em Israel; cada qual fazia o que parecia direito aos seus olhos. 7   E havia um jovem de Belém de Judá, da tribo de Judá, que era levita e peregrinava ali. 8   E este homem partiu da cidade de Belém de Judá para peregrinar onde quer que achasse comodidade; chegando ele, pois, à montanha de Efraim, até à casa de Mica, seguindo o seu caminho, 9   disse-lhe Mica: De onde vens? E ele lhe disse: Sou levita de Belém de Judá e vou peregrinar aonde quer que achar comodidade. 10   Então, lhe disse Mica: Fica comigo e sê-me por pai e sacerdote; e cada ano te darei dez moedas de prata, e vestuário, e o teu sustento. E o levita entrou. 11   E consentiu o levita em ficar com aquele homem; e este jovem lhe foi como um de seus filhos.
E havia um homem da montanha de Efraim, cujo nome era Mica.
O qual disse à sua mãe: As mil e cem moedas de prata que te foram tiradas, por cuja causa lançaste maldições, e de que também me falaste, eis que esse dinheiro está comigo; eu o tomei. Então lhe disse sua mãe: Bendito do Senhor seja meu filho.
Assim restituiu as mil e cem moedas de prata à sua mãe; porém sua mãe disse: Inteiramente tenho dedicado este dinheiro da minha mão ao Senhor, para meu filho fazer uma imagem de escultura e uma de fundição; de sorte que agora to tornarei a dar.
Porém ele restituiu aquele dinheiro à sua mãe; e sua mãe tomou duzentas moedas de prata, e as deu ao ourives, o qual fez delas uma imagem de escultura e uma de fundição, que ficaram em casa de Mica.
E teve este homem, Mica, uma casa de deuses; e fez um éfode e terafins, e consagrou um de seus filhos, para que lhe fosse por sacerdote.
Naqueles dias não havia rei em Israel; cada um fazia o que parecia bem aos seus olhos.
E havia um moço de Belém de Judá, da tribo de Judá, que era levita, e peregrinava ali.
E este homem partiu da cidade de Belém de Judá para peregrinar onde quer que achasse conveniente. Chegando ele, pois, à montanha de Efraim, até à casa de Mica, seguindo o seu caminho,
Disse-lhe Mica: Donde vens? E ele lhe disse: Sou levita de Belém de Judá, e vou peregrinar onde quer que achar conveniente.
Então lhe disse Mica: Fica comigo, e sê-me por pai e sacerdote; e cada ano te darei dez moedas de prata, e vestuário, e o sustento. E o levita entrou.
E consentiu o levita em ficar com aquele homem; e o moço lhe foi como um de seus filhos.
Juízes 17:1-11

A mãe de Micá invoca o nome do Senhor (vs. 2-3), e aqui o nome invocado é o de Yahweh, não um deus pagão Dagon ou Baal. Eles adoravam ao Senhor pelo seu nome.

Ele estabelece um santuário (vs.5) tem tanto um efode - uma estola sacerdotal - e um sacerdote. Até mesmo mais tarde, houve um esforço para contratar um Levita para ser o sacerdote mostra que externamente eles estavam seguindo as regras básicas para adoração dadas pela lei mosaica.  Eles tinham um tabernáculo, um sacerdote levita e um efode.


COMO ISTO CONTRADIZ A LEIS DE DEUS?

Primeiro, a mãe de Mica mostra sua gratitude para Deus criando dois ídolos (vs.4).  Isto é um flagrante desrespeito ao segundo mandamento - Ex 20:4-5, Dt 4:16-. onde Deus não permite que se faça imagem dele. Deus diz que não deve ser adorado uma forma criada e moldada. No Santo dos Santos, acima do trono de Deus, a arca da aliança, existe nenhuma imagem ou estátua ou algo que se aparenta como Deus. Mas, a mãe de Mica está sendo incongruente. Isto demonstra quão vazia a religião em Israel se tornou. 

Em adição, Mica colocou este altar em seu lar.  Deus não permite que os israelitas adorarem a Deus no lugar onde eles querem, mas Mica coloca faz um santuário para sua própria conveniência. Isto nos mostra que a religião de Israel se tornou algo de conveniência pessoal.

Mica faz de seu filho um sacerdote. De novo, isto contradiz a revelação mosaica que diz que apenas a tribo de Levi poderia dar os sacerdotes. Mica e sua mãe, contudo, querem levantar sua família para o sacerdócio. Quando um levita vem junto a eles, eles consideram uma ascensão - vs. 7-13, porque eles conheciam a lei mosaica. Isto nos mostra que eles consideravam a obediência a lei de Deus como opcional.

Todos estes são maneiras diferentes de violar um princípio fundamental, a fé de Israel é uma fé revelada em que Deus revela a si mesmo na sua Palavra, não a descobrimos através de nossa razão ou experiência.  Em resumo, Deus diz, me adore como eu sou, não como você quer que eu seja.  Me adore como meu coração direcione,  e não como seu coração dirige. A família de Mica molda um Deus que é conveniente para adorar. Eles seguem as leis que querem e ignoram as que não querem.

 O primeiro dos 10 mandamentos nos proibe de adorar outros deuses, mas o segundo nos proibe de adorar a Deus por imagens que fazemos. Qual é a diferença?


A diferença entre adorar imagens dos outros deuses e adorar Deus com imagens?  No primeiro, a idolatria é bem clara, mas no segundo a coisa é mais sútil, fazemos Deus de acordo com os nossos deuses internos.  Eles gostam de Urim e Tumim, para saber sim ou não, mas não gostam da ideia de que existe apenas um éfode e um santuário central. 


 O Catecismo Maior de Westminster nos explica o segundo mandamento:

Os deveres exigidos no segundo mandamento são - o receber, observar e guardar, puros e inalterados, todo o culto e todas as ordenaças religiosas que Deus instituiu na sua Palavra, especialmente a oração e ações de graças em nome de Cristo; a leitura, a prédica, e o ouvir da Palavra; a administração e a recepção dos sacramentos; o governo e a disciplina da igreja; o ministério e a sua manutenção; o jejum religioso, o jurar em nome de Deus e o fazer os votos a Ele; bem como o desaprovar, detestar e opor-nos a todo o culto falso, e, segundo a posição e vocação de um, o remover tal culto e todos os símbolos de idolatria.

Cada cultura luta com o Deus bíblico de formas distintas,  porque Deus contradiz cada sociedade e cada coração de maneiras diferentes. As culturas antigas eram supersticiosas e mágicas, Deus as contradiz ao mostrar que ele não deveria ser adorado como um deus da casa ou através de encantos mágicos. 

O verso 13 nos mostra que o alvo ultimo da religião: Então, disse Mica: Agora sei que o SENHOR me fará bem, porquanto tenho um levita por sacerdote.  Em outras palavras, o propósito desta religião é ter acesso a Deus para ter algo dele para aquilo que queremos. O alvo da verdadeira fé é dar acesso a Deus para que ele nos dê o que ele quer... O propósito da religião é ter Deus para servir você, o propósito da fé no evangelho é ter um coração para servi-Lo. O alvo da religião idolátrica é sempre controlar Deus e assegurar seu favor apertando os botãos certos. 

Os versos 4 e 5 mostra que eles estavam procurando comprar o favor de Deus com sua boas obras e atividades. 

O verso 6 nos mostra o padrão para este comportamento e prática,  cada um faz o que é certo aos seus próprios olhos.  O padrão para o que era certo e o que estava errado era suas próprias sensibilidades, sentimentos e experiência. Em outras palavras, eles estavam julgando a Deus a partir de sua própria experiência, ao invés ao julgar sua própria experiência a partir de Deus.  

Já que na religião nos colocamos como nossos próprios salvadores, também nos colocamos como nossos próprios senhores. A religião está centrada no eu, e como Deus pode me dar aquilo que eu sei que é bom e direito.


 Why did a Levite, a man charged with teaching and maintaining the law, consent to serve a group of sacred images? Why did Micah set them up in the first place, and why did the Danites jump at the chance to steal them for themselves? The answer almost certainly is that popular religion, the religion of the local villages, was not the pure monotheism required by the law at Sinai. Recent excavations at Tell Qiri, a settlement dating to the period of the judges, revealed a similar household shrine with incense burners and a large number of animal bones. A substantial percentage of the bones proved to be the right foreleg of goats. This is reminiscent of the law in Exod 29:22, which calls for the sacrifice of the “right thigh” of the ram. (Manners & Customs of the Bible, p.76)

O CORAÇÃO DA MÃE

A mãe de Mica promete todo seu dinheiro para o Senhor, mas guarda a maioria para si (vs.4).  Isto mostra que ela não tinha Deus como soberano de sua vida.  Vemos que no verso 3, ela consagra toda a soma para Deus, mas ela apenas usa 2/11 para adorar e guardar o resto para si (vs.4). Isto é hipocrisia.  

Da mesma maneira, muitas pessoas usam uma linguagem religiosa, falando sobre Deus e Jesus como Senhor, mas na realidade, eles obedecem apenas em alguns setores das suas vidas, preservando outras áreas em que vivem como querem. Isto, algumas vezes, pode ser pura hipocrisia, mas é normalmente é uma falha  em pensar as implicações do evangelho para cada area da vida.  Em Galatas 2:14, Paulo confronta Pedro sobre sentimentos racistas. 


O POVO DE DÃ

Juízes 18:1-2: Naqueles dias, não havia rei em Israel, e nos mesmos dias a tribo dos danitas buscava para si herança para habitar; porquanto até àquele dia entre as tribos de Israel lhe não havia caído em herança bastante sorte.  E enviaram os filhos de Dã da sua tribo cinco homens dos seus confins, homens valorosos, de Zorá e de Estaol, a espiar e rastejar a terra; e lhes disseram: Ide, rastejai a terra. E vieram à montanha de Efraim, até à casa de Mica, e passaram ali a noite.

Quem é Dã? O escritor de Juízes já nos respondeu isto no começo do livro. Dã tinha recebido uma parte específica de Canaã. Sua herança foi prometida em Js 19:40-46. E Deus disse a todo Israel que se eles obedecessem e o amassem  e se lutassem corajosamente, ele iria expulsar os cananeus diante deles (Js 23:4-11).  Mas, em Jz 1:19-36 nos conta que várias tribos de Israel falharam em cumprir esta obrigação. 

Dã, contudo, foi diferente, vemos em 1:34 que eles falharam na sua obrigação militar, nem conseguiram entrar na terra. Foram forçados a viver numa vida semi-nomadismo nas montanhas. 

Os homens de Dã são como Mica. Primeiro, eles desobedecem a Deus. Segundo, ele mostra nos versos 5-6 e 14-2 uma visão idolatra, supersticiosa de Deus. Eles querem ser guiados e abençoados, mas esperam encontrar isto através da atividade religiosa ao invés de arrependimento e graça. 

Nos versos 7-10, eles encontram uma boa terra onde podem ficar por suas próprias forças, sem precisarem de Deus. Os danitas que recusavam ouvir a Deus, decidem que seu Deus os abençoou e vão para tomar a terra (vs. 10-12)

No caminho, eles passam pela casa de Mica. Acreditam que a estátua é um sinal divino, e a tomam por especial (vs. 15-18). O levita que lá está diz que está disposto a ser sacerdote de todos eles ao invés de uma casa apenas. É uma grande promoção para um homem que estava vagando sem casa. Feliz, ele se junta aos danitas (vs. 20)

Vemos que o levita serve apenas a si mesmo. Ele serve a quem o pagar, fala ao povo o que eles querem ouvir e se move por coisas que o impressionam.  Suas decisões são movidas por auto-interesse


Ele respondeu: "Vocês estão levando embora os deuses que fiz e o meu sacerdote. O que me sobrou? Como é que ainda podem perguntar: ‘Qual é o seu problema? ’ " Os homens de Dã responderam: "Não discuta conosco, senão alguns homens de temperamento violento o atacarão, e você e a sua família perderão a vida". E assim os homens de Dã seguiram seu caminho. Vendo que eles eram fortes demais para ele, Mica virou-se e voltou para casa. Juízes 18:24-26

Mica e seus vizinhos vão a guerra contra os danitas por causa dos deuses e do sacerdote.  Tudo que ele confiava era nas coisas e não em Deus. 

No final, a religião feita pelo homem vai desapontar. Aquilo que colocamos como o nosso deus- dinheiro, prazer, poder- não vai dar o que queremos. A pessoa que coloca isto como alvo vai terminar sendo bloqueada por alguém ou algo mais forte que ela para ser abençoado,


Os versos 25-31 nos mostram o desejo claro por poder pessoal como o fundamento de tudo que fazem.


E os filhos de Dã levantaram para si aquela imagem de escultura, e Jônatas, filho de Gérson, o filho de Manassés, ele e seus filhos foram sacerdotes da tribo dos danitas, até ao dia do cativeiro da terra. Assim, pois, a imagem de escultura, que fizera Mica, estabeleceram para si, todos os dias que a casa de Deus esteve em Siló  (Jz 18:30-31)

É chocante percebemos que o levita que participa de tudo isto é o neto de Moisés. 

A história nos dá um grande exemplo da banalidade do mal. O mal não faz as pessoas incrivelmente ruins e violentas, mas ele nos deixa vazios.  São homens guiados pelos desejos de ganho ou poder, pelos medos e raivas, que nada escolhem por si mesmos.



Nenhum comentário: